Publicado em: 15/08/2018

Categoria:

Depois do encontro com a comunidade evangélica, quando o prefeito apresentou os números atualizados do governo municipal, mostrando a real situação da Prefeitura desde que assumiu os destinos do município, no último dia dez foi a vez da Comunidade Católica tomar conhecimento de como o município está sendo administrado; a situação caótica em que foi deixado, os débitos herdados e os avanços nos dezoito meses de governo.

Esse método adotado pelo atual gestor nanuquense, significa promover um governo com a participação da sociedade, em todos os seus seguimentos, e foi assim no seu primeiro ano de administração e será até o findar desse governo. O prefeito, não apenas presta contas, mas ouve a sociedade; seus anseios e suas demandas, e tenta atende-las na medida do possível.

 Os motivos de não ter realizado algumas ações nesse período, se deve, especialmente à crise de elevada intensidade que se instalou no Estado e no País, atropelando qualquer plano de governo nos municípios de pequeno porte, especialmente. Diante da situação de incertezas e instabilidades, nenhum prefeito consegue administrar com planejamento, por mais que seja ele organizado, como é o caso de Nanuque.

Mas, em um ano e meio de governo, a sociedade está percebendo os avanços em todos os setores, especialmente na saúde, no social, na educação e a organização implantada na Prefeitura, como um todo. Nessa organização podemos citar o bom funcionamento da garagem, a recepção, o setor de protocolo, o ponto eletrônico, a identificação através de crachás, a responsabilidade com a frota e o transporte escolar, dentre outros setores.

A Comunidade Católica recebeu bem o prefeito e sua equipe no salão paroquial da Igreja Imaculada Conceição. Absorveu bem a prestação de contas do prefeito, que, como em outras ocasiões, prevaleceu a clareza e a transparência das palavras e das suas ações, olhando nos olhos de cada um, a cada palavra e a cada gesto.

Ao final do encontro, foi servido um lanche a todos os presentes.