Publicado em: 10/08/2017

Categoria:

Desde que tomou posse em 1º de janeiro do ano em curso, o Prefeito Roberto de Jesus definiu como prioridade a moralização do setor da Garagem Municipal, onde havia um quadro de descaso que gerava grandes prejuízos ao erário público, devido não somente ao estado de abandono da frota, como também relatos de desaparecimento de peças, motores, pneus e toda sorte de suprimentos, sem que houvesse ao menos uma apuração mais efetiva para se atribuir responsabilidades.

Já foram várias as medidas tomadas pela nova gestão que apontam para um novo quadro do setor, bem diverso daquele encontrado pela equipe que assumiu juntamente com o Prefeito Roberto de Jesus e que tomaram para si a incumbência de dar uma nova cara ao que até então apontava para um descaso que beirava a irresponsabilidade daqueles que tinham a obrigação de zelar pelo bem público e o não fizeram.

Depois da reativação do lavador municipal, da recuperação de boa parte da frota que se encontrava sucateada, incluindo desde carros pequenos até máquinas pesadas como uma patrol que foi reformada e posta em atividade, agora foi a vez do Caminhão Compactador de Lixo que se encontrava igualmente sucateado, encostado há pelo menos cinco anos.

Foram gastos recursos da ordem de R$ 15 mil reais para a recuperação do Caminhão Compactador distribuídos entre caixa de marcha, faróis, pintura, 06 pneus, bateria, mecânica, parte elétrica, enfim, uma soma razoável, porém, pouco vultuosa se comparada ao prejuízo causado aos cofres públicos com a sua inatividade por meia década e em relação ao preço de mercado.

Segundo Sérgio Paulo “o que foi feito na garagem até então não foi nada além de um trabalho sério, honesto e de resultados, com controle efetivo daquilo que entra, daquilo que sai, sem misturar o público com o particular, como comumente era feito”. Afirmou o Chefe de Seção de Controle da Frota Municipal.

Para Enildo Gomes, Chefe de Seção do Transporte Escolar “o fato de que qualquer veículo de particular pudesse ter livre acesso ao pátio onde funciona a garagem, é um indicador para se explicar o porquê do desaparecimento de tantas peças e suprimentos que causaram prejuízos de grande monta aos cofres do Município”. Vaticinou Enildo.