Publicado em: 13/03/2017

Categoria:
vpp_MINI

“A Prefeitura de Nanuque, através da Divisão de Cultura, em parceria com a Artenaq, realizou nos dias 11 e 12 de março, na Praça da Bíblia, a primeira versão do Projeto “Vem pra Praça”; sucesso de público, a primeira versão do Projeto “Vem pra Praça” apresentou os cantores Ronnie, o Calor de Minas, a dupla Léo Pinheiro e seu parceiro Felipe e a Amenaq – Associação de Músicos Evangélicos de Nanuque.”

A Prefeitura de Nanuque, através da Divisão de Cultura, em parceria com a Artenaq – Associação dos Artesãos de Nanuque, realizou nos dias 11 e 12 de março, na Praça da Bíblia, a primeira versão do Projeto “Vem pra Praça”, um evento musical que tem por finalidade promover os artistas locais, estimulando a comunidade a retomar os espaços públicos da cidade destinados ao lazer.

Sucesso de público, a primeira versão do Projeto “Vem pra Praça” apresentou os cantores Ronnie, o Calor de Minas, a dupla Léo Pinheiro e seu parceiro Felipe e a Banda Amenaq – Associação de Músicos Evangélicos de Nanuque”, no sábado e domingo respectivamente. A Praça da Bíblia foi tomada por pessoas que foram prestigiar o evento musical e visitar as várias barracas de artesanatos.

“Um dos objetivos do “Vem pra Praça”, além da ideia central de promovermos a retomada dos espaços públicos destinados ao lazer, é também o de fomentar a economia criativa, com a exposição de produtos artesanais e uma variada culinária à disposição nas barracas, no entorno da Praça. Sem dúvida, o sucesso dessa primeira etapa nos estimula a buscar o aprimoramento do Projeto”, declarou Girlane Amaral, Chefe de Divisão de Cultura do Município.

Gilvanil Monteiro, o Bibia, Secretário de Esportes, comemora o sucesso do “Vem pra Praça”+: ”Nós temos dito que estamos colhendo o que plantamos durante muito tempo com as edições da Feira de Artesanato. Essa parceria com a Divisão de Cultura só vem coroar o fruto de um trabalho de persistência em quebrar paradigmas. Enfim, a cultura de Nanuque vislumbra dias melhores”.

Já o Prefeito Roberto de Jesus traça as diretrizes do que consistirão as ações culturais do seu Governo: “A pergunta é: qual o legado de cultura nós queremos deixar para a cidade? Nanuque já teve movimentos culturais importantes como os festivais de canção, que se perderam no tempo, com o advento dos trios elétricos ou da indústria do entretenimento que vem, montam sua estrutura de um dia e depois vão embora sem deixar legado para o município”.