Publicado em: 19/04/2017

Categoria:

“O Prefeito Roberto de Jesus expediu comunicado na manhã desta quarta-feira (19/04), dando ciência aos servidores municipais que ainda não receberam o 13º salário do ano de 2016, que por falta da CRP – Certidão de Regularidade Previdenciária junto ao Ipasmun (Instituto de Previdência dos Servidores Municipais), o pagamento inicialmente previsto para o mês de abril ainda não poderá ser efetuado; entenda o caso.”

O Prefeito Roberto de Jesus expediu comunicado na manhã desta quarta-feira (19/04), dando ciência aos servidores municipais que ainda não receberam o 13º salário do ano de 2016, que por falta da CRP – Certidão de Regularidade Previdenciária junto ao Ipasmun (Instituto de Previdência dos Servidores Municipais), o pagamento inicialmente previsto para o mês de abril ainda não poderá ser efetuado.

Entenda o caso.

O Prefeito Roberto de Jesus ao assumir o comando do Poder Executivo no mês de janeiro do ano em curso, dentre as inúmeras pendências financeiras herdadas do seu antecessor, que inclusive motivaram a decretação do município em estado de calamidade econômico-financeira, estava o décimo terceiro salário do ano de 2016 de boa parte dos servidores municipais.

O Prefeito, devido a situação de calamidade, assumiu o compromisso junto ao Sindicato da categoria, o Sindisena, de que pagaria a gratificação natalina em atraso até o mês de abril, em face de algumas medidas saneadoras das contas públicas que o possibilitariam quitar o compromisso na data aprazada.

Um das medidas seria a renegociação da folha de pessoal junto à Caixa Econômica Federal, que pagaria determinado valor à Prefeitura de Nanuque para que o pagamento dos salários continuasse sendo efetuado naquela instituição bancária.

As conversações mantidas até então com os representantes do Banco Estatal estavam apontando para o fechamento da revenda da folha, no entanto, a Caixa Econômica comunicou ao Prefeito nos últimos dias de que a transação só seria efetivada caso a Prefeitura apresentasse a Certidão de Regularidade Previdenciária junto ao Ipasmun.

Como se sabe, do montante de R$ 56 milhões de dívidas herdadas pelo Prefeito Roberto de Jesus, R$ 19 milhões dizem respeito ao valor devido pelo Município ao Instituto de Previdência dos Servidores Públicos Municipais, o que até a presente data vem inviabilizando o Município em relação a várias situações que exigem a regularidade junto à previdência, inclusive nesta questão da revenda da folha de pagamento.

Diante deste fato, o Prefeito Roberto de Jesus se viu na contingência de ter que pedir que os servidores tenham um pouco mais de paciência até que a situação seja normalizada, no que ele vem trabalhando arduamente a fim de saldar o compromisso financeiro com os funcionários que aguardam ansiosos pelo recebimento daquilo que é de direito da categoria, mas que foi negligenciado pela gestão passada.

Como se sabe, essa questão de gestor que deixa o mandato sem pagar 13º salário dos servidores é recorrente aqui no município. Como também é costumeiro ouvir daquele que entra que, quem quiser receber que procure o Poder Judiciário. Nós já dissemos que ninguém vai ouvir isso do Roberto. O nosso compromisso é de pagar. No entanto, é preciso aguardar as condições necessárias para isso”. Afirmou o Prefeito Roberto de Jesus.

E conclui dizendo que “vamos tratar essa questão com os servidores, como tantas outras que temos tratado, com diálogo e muita transparência. Não se trata aqui apenas da nossa vontade. Trata-se de reunir as condições necessárias sem colocar em risco os compromissos que temos referente à nossa gestão”.